__________ Itapema, suas histórias... __________

segunda-feira, 24 de março de 2014

SERÁ QUE ELE É, ITAPEMA?



Embora em muitas culturas vestir-se de mulher gere discriminação, preconceito e violenta retaliação por ser considerado pelas sociedades um tabu, há casos que essa motivação de transgressão de gênero se dá no próprio seio familiar. Conforme relatos similares registrados mundo afora.
Viveu por muito tempo (até ali pelos anos 80) em ITAPEMA/SP, Jesuíno [imagem à direita], o qual sem pudor trajava-se vestido de mulher. Os itapemenses que o conheceram contam ter ele se habituado assim, porque a mãe (de origem portuguesa) desde criança o vestia de menina. Possivelmente por desejar durante o período de gravidez querer ter uma filha.
Sua família estimada no bairro Parque Estuário mantinha o 'Bar e Armazém Portugal', que funcionava na esquina da Rua Olavo Bilac (antiga Rua 5) com a Rua São Paulo, onde também residiam na parte dos fundos. Jesuíno vivia e atendia seus clientes vestido de mulher ao estilo português. Ainda que o comportamento causa-se certa estranheza, este convivia sem maiores animosidades daqueles que frequentavam o estabelecimento. A vizinhança acostumada a vê-lo varrer a calçada, de saia, blusa e sapatos femininos, uma quase "portuguesa" com toda certeza. Amigos davam-lhe presentes, como "Potrinho" que comprou para o gajo um elegante lenço de cabeça. Naturalmente, por vezes confundiam Jesuíno ao chamá-lo de "Jesuína".
'BAR E ARMAZÉM PORTUGAL' COMÉRCIO DA FAMÍLIA DE JESUÍNO [ITAPEMA/SP] ANOS DE 1960.
ESQUINA DA RUA OLAVO BILAC COM A RUA SÃO PAULO NO BAIRRO PARQUE ESTUÁRIO ONDE FICAVA O "BAR DO JESUÍNO" [ITAPEMA/SP] 2017.
  
A imprensa da região interessou-se pelo caso inusitado. O jornal 'A TRIBUNA' numa manchete sensacionalista estampou: "Jesuína é homem e está grávido!"
Entretanto, quando alguém ou até mesmo crianças peraltas queriam irritar a inocente criatura, disparava: "Ô, Dona Maria!". Tomando-o por "Zé Muié". "Mulher de barba", imagem recorrente na fala dos pirralhos, ao que ele ficava brabo. Bom de briga sentou cacete em muito cachaceiro abusado. Vez ou outra os amigos (conhecedores de sua história) defendiam-no daquele que queria insultá-lo como afeminado... Afirmando ser ele "cabra-macho".
Conta o Sérgio Vitoriano, que depois dos companheiros de "Sueca" (jogo de Baralho) comprarem-lhe uma calça, não vendo mais razão nos gostos da mãe então falecida, aí Jesuíno virou Homem de vez, amasiou duma morena... Até filho fez!
Dizem que mudou-se de cidade, passados os anos não se teve mais notícias dessa figura controversa e querida dum Itapema remoto.
 JESUÍNO [À DIREITA] RECEBE O AMIGO JOSÉ DA AVÍCOLA NO BAR DA FAMÍLIA EM ITAPEMA/SP [ANOS 1980].