__________ Itapema, suas histórias... __________

sexta-feira, 6 de junho de 2014

O AMOR BATE ASAS NO ITAPEMA

COLUMBINAS TALPACOTIS POUSADAS NA REDE ELÉTRICA EM ITAPEMA/SP.

Éramos  ainda duas crianças tolas, ocultando nosso amor dos adultos. Vivendo cercados naquele frágil universo de inocências, promessas de lealdade inquebrantável pelas cercas de ripa  que dividiam os quintais itapemenses.
Do mundo todo eu pretendia fazer-lhe um singelo presente. Frutas roubadas, punhados de flores apanhadas nos jardins  dos chalés da Vila Alice, vaga-lumes em troca de estrelas distantes. Tudo enfim, depositava a seus pés... Certa ocasião apareci com um par de aves num gaiolim.
- Nunca vi dessas por aqui. - Colocou seu dedinho por entre as gradinhas como se quisesse acariciá-las , enquanto pululavam dos poleirinhos.
- Veio de outro lugar, sua boba.
- Do meio do mato?... Que coragem!
- Sou passarinheiro dos bons, sabia... Peguei numa arapuca que fiz.
- Que miudinhas!... - Seu meigo espanto tornava  as palavras doces, enamorado minha boca ressequia ansiosa.
- São desse tamanho mesmo... - Dependurei-as num galho penso duma Aroeira do terreiro para apreciarmos melhor.
ROLINHAS CALDO-DE-FEIJÃO ABRIGADAS NA VEGETAÇÃO URBANA ITAPEMENSE.

- Elas fazem um som engraçado , né... Uú, Uú, Uú!!
- São da espécie Columbina talpacoti. - Fala eu com certo esforço da pronúncia.
- Ave maria!...
- Tá escrito aqui nessa enciclopédia. Tem até um desenho.
- Gostei mais pessoalmente.
- O que te lembra?
- Deixa ver... - Aproximou mais seu lindo rosto da gaiola, ficando na pontinha das sandálias.  - Tem cor parecida com... Caldo de feijão!
- É um casal de rolinhas... Tu e eu! - Ela sorria. E aquela risada jamais esquecerei, pois furtivo engoli num beijo trêmulo. Eu também serelepe beija-flor. Surpreendendo-a entre a gaiola.
- Atrevido...! - Disse com dissimulada contrariedade.
Dedicávamos nosso afeto a vê-las bem cuidadas. Eram esses momentos de intensa alegria. Quirera sem querelas. Mas de repente, ela zangou-se comigo e pra me chatear ria debochada dos meus favores. Querendo que eu visse aquilo que meu coração temia enxergar...
Rompemos as juras, o namoro teve fim. Como se faz aos passarinhos quis prender o amor numa gaiola. No entanto, o amor teima bater asas.





Diante destes olhos, os dois pássaros arrulhavam cruelmente felizes. Cego de fúria eu os soltei na esperança de que eles também se separassem, cada qual num rumo incerto pelas árvores da cidade.
Quando as vejo pousadas aos pares nos fios da rede elétrica, ciscando nas ruas do Distrito, e das muitas que povoam o Itapema, é que me vem a nostalgia daquele remoto amor.

domingo, 1 de junho de 2014

ITAPEMA... A TAÇA DO MUNDO É NOSSA!!

CARTAZ DA COPA DO MUNDO DA SUÉCIA 1958 E A FESTA DO TORCEDOR BRASILEIRO DE ITAPEMA/SP.

A 6ª edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol (ainda nominada Copa Jules Rimet) foi realizada na Suécia (continente europeu). Ocorreu de 08 à 29 de Junho de 1958, com a participação de 16 seleções.
Apesar da sexta participação consecutiva da Seleção Brasileira (o único país participante de todas as edições do Torneio FIFA), o Brasil não era dado como favorito. Embora fosse considerada uma das melhores gerações do futebol. A nova sensação do Novo Mundo. Contando no seu elenco com: Gilmar, Nilton Santos, Djalma Santos, Zito, Vavá, Didi, Garrincha e Pelé (à época com 17 anos e surgindo para ser o Rei do Futebol).
A Seleção Brasileira de 58 tinha uma mescla de craques experientes e novatos na dose certa, mas havia ressalvas quanto ao controle emocional dos jogadores quando expostos à pressão.

[Poster da Copa do Mundo da Suécia 1958]

O Brasil chegara perto da conquista na Copa de 1938 (no Uruguai) com o 3º lugar. Frustrara-se na tragédia futebolística em casa, ficando com o Vice-campeonato de 1950. Além da decepção no Mundial de 1954 caindo nas quartas-de-final.
Sem saber do que era capaz temia descobrir sua própria identidade, pois acreditava que o drama de 1950 revelava sua fraqueza, sua inferioridade, o chamado "complexo de vira-latas", conforme a célebre definição do cronista Nelson Rodrigues, na Revista 'Manchete Esportiva'. O time do Brasil passara apertado pelas Eliminatórias e fracassou no Sul-Americano de 57. A crítica mais comum era de que o jogador brasileiro possuía espírito perdedor, sem fibra, era exageradamente humilde, se intimidava diante de rivais estrangeiros. Portanto, a Seleção Brasileira partiu desacreditada para a disputa do Mundial de 1958.
Foram convocados 22 jogadores, dentre os melhores do futebol brasileiro:
Time principal: 3 GILMAR (Goleiro) - Corinthians. 2 BELLINI (Zagueiro) - Vasco da Gama. 15 ORLANDO (Zagueiro) - Vasco da Gama. 19 ZITO (Volante) - Santos. 6 DIDI (Meia) - Botafogo. 7 ZAGALLO (Ponta-esquerda) - Botafogo. 4 DJALMA SANTOS (Lateral-direito) - Portuguesa de Desportos. 12 NILTON SANTOS (Lateral-esquerdo) - Botafogo. 10 PELÉ (Meia-atacante) - Santos. 11 GARRINCHA (Ponta-direita) - Botafogo. 20 VAVÁ (Centro-avante) - Vasco da Gama.
Reserva: 14 DE SORDI (Lateral-direito) - São Paulo. 21 Dida (Atacante) - Flamengo. 5 Dino Sani (Volante) - São Paulo. 17 Joel (Atacante) - Flamengo. 16 Mauro (Zagueiro) - São Paulo. 18 MAZZOLA (Atacante) - Palmeiras.  13 Moacir (Meia) - Flamengo. 8 Oreco (Lateral-esquerdo) - Corinthians. 22 Pepe (Atacante) - Santos. 9 ZÓZIMO (Atacante) - Bangu. 1 Castilho (Goleiro) - Fluminense.
O técnico Vicente Feola inovava com um sistema tático surpreendente, o 4-2-4 na formação da equipe em campo.
SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL - COPA DO MUNDO DE 1958.    

PRIMEIRA PARTIDA (1ª Fase): BRASIL X ÁUSTRIA - 8 de Junho (19:00h.) Horário Local. (Rimnersvallen, Udevalla) Público: 21 mil espectadores.
A Seleção vai enfrentar o Selecionado austríaco, capitaneado por Gerhard Hanappi. É a técnica brasileira versus a persistência e força européia. O Brasil dá início. Aos 37 minutos, Didi, o comandante do meio-campo, ganha do Lateral. Entra pela esquerda adversária, alça e encontra Mazzola no interior da grande área, que no quique da bola chuta cruzado de primeira, no canto esquerdo do goleiro que nem vai pra bola... É Goooll!! Do Brasil. 1 X 0. Põe o Brasil na frente.
A Áustria retorna bem para o 2º Tempo. O Ponta-direita Horok tem habilidade, pela lateral direita avança, passa por um, alça a bola na área brasileira obrigando o Goleiro Gilmar a dar um tapa por cima do gol, com a puxeta  de pé esquerdo de Buzek, na risca da pequena área... Indo toda avante, a Seleção Austríaca fica desprotegida e dá oportunidade para o contra-ataque. O Lateral-esquerdo Nilton Santos vai à frente e surpreende. Recebe bola tocada pela esquerda na grande área, o Goleiro Stanwald abafa e apertado, Nilton Santos (aos 48') toca por cima do goleiro, pro fundo do gol. 2 X 0 para o Brasil. A Torcida vibra.
 NILTON SANTOS MARCA PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA CONTRA A ÁUSTRIA.
MAZZOLA MARCA MAIS UM GOL BRASILEIRO NA SELEÇÃO AUSTRÍACA.

O Selecionado brasileiro tenta ampliar o placar... Aguenta firme contra a renovada pressão da Áustria. Depois de dois ataques frustrados, Mazzola pelo meio da Zaga e da entrada da área bate a meia-altura. Balança a rede austríaca, levando alegria à torcida brasileira. O relógio marca 89', da etapa complementar... 3 X 0. O Brasil domina e vence na sua estréia.
 A EMPOLGADA TORCIDA BRASILEIRA-ITAPEMENSE - MUNDIAL FIFA 1958.

SEGUNDA PARTIDA (1ª Fase): BRASIL X INGLATERRA - 11 de Junho (19:00h.) Horário local. (Gotemburgo, Estádio Ullevi) Público: 30 mil espectadores.
Os times vêm a campo. A disputa é entre a Seleção Brasileira e o English Team, inventores do Futebol. O Brasil dá o pontapé inicial, mas é a Inglaterra que começa a atacar. Numa troca de passes na lateral esquerda perto do bico da área, neutralizada por Bellini (Capitão) que lança pra frente... O jogo é truncado. A Torcida fica impaciente, pois nenhuma das equipes consegue finalizar um chute ou levar perigo ao gol adversário. A marcação é forte sobre o ataque brasileiro. Ao final do 1º Tempo, o Brasil chega perto do gol. Mas, o Goleiro inglês Colin Macdonald numa bola alta na frente da pequena área, pelo ataque do Brasil, sobe em disputa e soca a bola. No rebote tentativa brasileira abafada pelo goleiro, tirando dali Ronnie Clayton, na entrada do gol.
É a vez da Seleção Inglesa pressionar. Haynes troca passes com Douglas na intermediária da meia-esquerda brasileira. Douglas arrisca o chute de canhota próximo a grande área. A bola escapa de Gilmar, que se recupera imediatamente e agarra. Ao apito final do Árbitro, a partida termina sem gols. O empate de 0 X 0 contra o English Team, foi o primeiro da história das Copas. Contudo, o Brasil lidera seu grupo.
   O ATAQUE BRASILEIRO TEVE DIFICULDADES E PAROU NA MARCAÇÃO INGLESA.

TERCEIRA PARTIDA (1ª Fase): BRASIL X URSS - 15 de Junho (19:00h.) Horário local. (Gotemburgo, Estádio Ullevi) Público: 50 mil espectadores.
Nesta partida o escrete da CBD (Confederação Brasileira de Desportos) enfrenta a Seleção Soviética (URSS), Campeã Olímpica. Vicente Feola escala três novos jogadores, depois do empate chocho contra os ingleses. O povo nas ruas queria a mesma coisa. Bola pra frente. Numa decisão entre treinador e equipe, definiu-se escalar Didi. O Ponteiro-direita de pernas tortas, Mané Garrincha e um Meia-esquerda de 17 anos, Pelé.
A URSS dá começo a peleja. Numa primeira tentativa, Garrincha parte sobre a defesa da União Soviética. Seria o tormento do Zagueiro Kusnetsov. Já dentro da grande área, Mané passa o zagueiro com um drible rápido à direita e fuzila na trave do Goleiro Lev Yashin, o "Aranha-negra". O Selecionado soviético vai ao ataque, jogada pela direita. Troca de passes e na entrada da área, o chute. Numa das poucas chances, mas Gilmar encaixa segurando no meio do gol.
O Brasil avança num passe em profundidade de Orlando, entre a Zaga para o Centro-avante Vavá que recebe, conduz a bola e dentro da grande área chuta... É o primeiro Gol brazuca aos 3 minutos do 1º Tempo. Dominou ela bonito e balançou o capim. 1 X 0. Na frente o Brasil.
  GARRINCHA BARBARIZA A DEFESA DO SELECIONADO SOVIÉTICO.
O CENTRO-AVANTE VAVÁ DENTRO DA ÁREA SOVIÉTICA MARCA PARA O BRASIL. 

Apesar da superioridade da Seleção Brasileira, a URSS reinicia o 2º Tempo perdendo apenas por um gol. Didi domina o meio-campo. Num passe para Garrincha, este toca pra Vavá que se atira antes da defesa soviética e empurra pra rede, sem chance pro Goleiro Yashin... É Goooll!! Do Brasil! 2 X 0. Passados 77 minutos da etapa final. A Seleção derrota e segue para as Quartas-de-final. Aumenta a confiança do Torcedor Brasileiro.
A ALEGRIA DO TORCEDOR BRASILEIRO EM ITAPEMA/SP - MUNDIAL FIFA 1958.

QUARTA PARTIDA (Quartas-de-final): BRASIL X GALES - 19 de Junho (19:00h.) Horário local. (Gotemburgo, Estádio Ullevi) Público: 26 mil espectadores.
O Brasil tem como adversário a Seleção do País de Gales, representante da Escola inglesa do Futebol. John Charles é a baixa dos Galeses. 
Com melhor aproveitamento dos seus talentos individuais, organização tática (surpreende seu inovador 4-2-4), o Brasil já é considerado um dos melhores do Torneio. Porém a Seleção entra desfalcada, sem Zito e Vavá, contundidos. Zózimo divide a meia-cancha com Didi. No ataque Mazzola e Pelé.
O Juiz apita o início da partida, e o País de Gales põe a bola em jogo. Os galeses atacam pouco. Na ponta-direita, Medwin avança e bate à meia-altura, do bico da área, Gilmar atento agarra tranquilo... Pela extrema-esquerda galesa, Mané Garrincha preocupa a defesa adversária. Jack Kelsey é driblado na grande área por Garrincha que fuzila à queima-roupa, obrigando o goleiro galês espalmar com a mão direita pela linha lateral do outro lado. Logo depois, na cobrança de um escanteio pela direita, o Ataque brasileiro manda de cabeça uma bola no travessão. O Gol é eminente. Entretanto, a Seleção do País de Gales se segura. 
Veio o intervalo e nada do Brasil superar a Defesa galesa...
Numa bola vinda da direita para a entrada da área é tocada de cabeça por Didi para Pelé dentro da área. De costas Pelé domina no peito, com um ligeiro "totó" passa o zagueiro e de frente chuta no canto direito da meta do País de Gales. O goleiro nem vai na bola. Pelé faz um golaço! Na marca dos 66 minutos, do 2º Tempo. Brasil 1 X 0 suado!!... Fim de jogo, a Seleção Brasileira vai para as Semi-finais. Em homenagem ao público, eles desfilam com a Bandeira Sueca.
  PELÉ FAZ SEU PRIMEIRO GOL NA COPA DA SUÉCIA, CONTRA A SELEÇÃO DE GALES 1958.
  
QUINTA PARTIDA (Semi-final): BRASIL X FRANÇA - 24 de Junho (19:00h.) Horário local. (Estocolmo, Estádio Rasunda) Público: 27 mil espectadores.
As equipes mais talentosas da Copa adentram o gramado. Pelo futebol apresentado, o Brasil agora é favorito ao título.
A França dá o pontapé inicial... O jogo é equilibrado. Nilton Santos marca de perto as descidas de Fontaine, artilheiro francês. Numa jogada pela direita a Defesa francesa se antecipa, mas na sobra a bola é lançada em Vavá no meio da área, que mata no peito à frente e enche o pé, na saída do goleiro francês... Vavá balança a rede. Está aberto o marcador, aos 2 minutos da etapa inicial. Golaço brasileiro! 1 X 0. A Torcida itapemense vibra ouvindo a transmissão pelo rádio.
A Seleção Francesa não se entrega. Kopa da intermediária faz passe em profundidade para Fontaine que entra pela Zaga brasileira, dribla Gilmar e chuta de esquerda, do bico da pequena área, empatando o placar, restando à Defesa brazuca pegar a bola no fundo do gol. 1 X 1... Tudo igual!
O time brasileiro responde. Garrincha disputa bola no meio-campo e toca com Didi na intermediária, que manda um "pombo-sem-asa" na forquilha da meta francesa, onde dorme a coruja. Sem chance, o goleiro voa e não acha a bola... É Goooll!! Quando o relógio já marcava 39 minutos do 1º Tempo. Brasil 2 X 1.
 DIDI DA INTERMEDIÁRIA MANDA UM "POMBO-SEM-ASA" NO GOL FRANCÊS.

Na etapa complementar a partida vive momentos de expectativa de ambos os lados... O Brasil cresce em campo. De novo Vavá troca passes pela esquerda, Zagallo recebe na entrada da área e chuta forte, a bola estoura na Zaga e sobra na lateral esquerda. É levantada na área por Vavá, o goleiro falha defendendo parcialmente a bola nos pés de Pelé, que só completa para o Gol. É o terceiro Tento do Brasil no jogo. Aos 52 minutos do 2º Tempo. 3 X 1...
A Seleção Brasileira domina a peleja. Mané Garrincha avança pela direita deixando seu marcador para trás, cruza pra Pelé que vem entrando, dribla e joga com Vavá que chuta na Zaga e de novo na sobra, Pelé manda pro fundo do Gol. Aos 64 minutos do 2º Tempo. 4 X 1. O Brasil goleia... Garrincha novamente dá nó, desestabiliza na lateral francesa. Cruza pra Didi, que vê Pelé na meia-lua. Pelé entra e bate forte de "sem-pulo", no canto direito do goleiro francês. É bola na rede!! 5 X 1. Na marca dos 75 minutos amplia o placar o escrete brasileiro...
PELÉ AMPLIA PARA O BRASIL CONTRA A SELEÇÃO DA FRANÇA.

A França é valente. Platoni mete uma bola entre as pernas do marcador brasileiro, finta na frente da Zaga, próximo a meia-lua da grande área e chuta cruzado no canto direito, Gilmar acerta o canto, mas a bola passa. A Seleção Francesa marca seu segundo gol. Entretanto, o Brasil goleia e chega a Final. 5 X 2...
A TORCIDA BRASILEIRA-ITAPEMENSE COMEMORA - COPA DO MUNDO 1958.

SEXTA PARTIDA (Final): BRASIL X SUÉCIA - 29 de Junho (14:00h.) Horário local. (Estocolmo, Estádio Rasunda) Público: 51.800 espectadores.
O Brasil joga a Finalíssima contra a anfitriã Suécia. A Seleção Brasileira veste camisas azuis improvisadas (costurado o escudo da CBD) para diferenciar do uniforme sueco, que também tinha o amarelo como cor nacional. É a segunda vez que o Brasil joga uma Decisão de Mundial. A Suécia tem sua enorme Torcida e o time brasileiro é favorito pelo futebol até ali jogado.
A Seleção dá início a partida decisiva. Trocou o Meia-direita De Sordi por Djalma Santos para uma marcação mais forte do Ponta-esquerda sueco Skoglund, que na primeira chance alça a bola com perigo na pequena área brasileira. Gilmar escorrega, obrigando a Zaga a tirar de qualquer jeito de cabeça. A Suécia domina de começo buscando logo um Gol, que pode ser decisivo.
Didi inteligentemente prende a bola para o Brasil, vira a jogada querendo o controle do jogo. Pelé faz o mesmo, é preciso ser paciente, não entregar a bola de graça... Entretanto, o pior logo acontece. O sueco Liedholm, com apenas 4 minutos, dribla na meia-lua brasileira, ajeita e chuta cruzado no canto direito de Gilmar. Gol da Suécia... O Torcedor brasileiro fica apreensivo.
Já no reinício o Brasil ameaça do time sueco, com um lançamento em profundidade de Didi, do círculo central para Mané Garrincha na ponta-direita, que domina próximo a linha de fundo e fuzila o gol adversário, na rede pelo lado de fora... O suecos tem motivos pra se preocupar. Outra vez Garrincha, pela ponta-direita dribla o marcador e cruza rasteiro pra Vavá empurrar pra dentro da rede na cara do gol. 1 X 1. Empata aos 9 minutos do 1º Tempo, o Brasil!... Mané Garrincha está inspirado, ele finta outra vez pelo lado direito do campo e num chute a meia-altura acerta a trave direita da meta sueca... Mais uma jogada de Garrincha pela ponta, leva a marcação e noutro cruzamento pelo chão, Vavá na pequena área desvia pro Gol. O Brasil vira o jogo aos 32 minutos de partida. O 1º Tempo termina com o placar de 2 X 1.
  COM OPORTUNISMO VAVÁ MARCA PARA O BRASIL FRENTE A SUÉCIA.

Na volta, em desvantagem a Seleção da Suécia vem pra cima do time brasileiro, mas o Brasil marca de perto as jogadas e domina o jogo. Djalma Santos acha Garrincha, o Ponta avança, dribla e chuta, a Zaga sueca corta.
Desta vez Zagallo é quem lança da esquerda, na área pra Pelé que mata no peito saindo do primeiro marcador, dá um "chapéu" no zagueiro e chuta sem deixar cair, pro fundo da rede sueca. Aos 55 minutos da etapa complementar. É outro golaço de Pelé para o Brasil. 3 X 1... O Brasil praticamente põe a mão na Taça do Mundo.
Agora Mané Garrincha, na linha de fundo tenta por cobertura, forçando o goleiro Svensson a mandar para escanteio a bola. Zagallo bate o tiro de canto pela esquerda, a Defesa da Suécia corta mal. Num chute do Ataque brasileiro a bola reboteia de novo pra Zagallo, que ganha na vontade do marcador e toca por baixo das pernas do goleiro. É o quarto Gol do Brasil frente a Suécia. 4 X 1, Quando o relógio marca 68 minutos passados do 2º Tempo.
 O GOLAÇO DE PELÉ PARA O BRASIL CONTRA A SELEÇÃO DA SUÉCIA.

A Seleção Sueca ainda tenta jogar. Skoglund encontra uma brecha na Defesa brazuca e manda pra Simonsson na área, de frente pra meta brasileira e chuta cruzado na saída do Goleiro Gilmar, fazendo o segundo Gol sueco. 4 X 2...
Antes do final do jogo, Garrincha entorta o Lateral, a Zaga e o Goleiro da Suécia. O Técnico Feola, do banco incentiva os atletas por mais um Tento brasileiro. Zagallo cruza da esquerda e Pelé de cabeceia desequilibrado encobrindo o goleiro sueco, a bola pinga rente a trave do lado direito e entra. É o quinto Gol... Passados 89 minutos do 2º Tempo. O Brasil goleia por 5 X 2 e é Campeão Mundial de Futebol!
A TORCIDA BRASILEIRA EM ITAPEMA/SP SAI AS RUAS PARA COMEMORAR A CONQUISTA DA COPA DO MUNDO DE 1958.

O Time não só venceu e convenceu, como também fascinou o Mundo da Bola. 5 vitórias e 1 empate. 16 gols feitos e 4 gols sofridos. Campeão do Mundo invicto. É o escalte técnico. A primeira Seleção a ganhar a Copa do Mundo fora do seu continente... Os jogadores festejam, Pelé chora nos braços dos companheiros. Gilmar derrama lágrimas na execução do Hino Nacional Brasileiro. O Capitão Bellini, num gesto histórico ergue a Taça Jules Rimet, mais alto, sobre todas as cabeças coroando a vitória. O Brasil dá a Volta Olímpica com a Bandeira da Suécia, saudando a Torcida.
OS 22 CAMPEÕES DO MUNDO DE 1958, NUMA CARICATURA DO CARTUNISTA LAN.
     
[O Capitão Bellini levanta a Taça de 1958] 

O Escrete Brasileiro mostrou pertencer a mais nobre das linhagens. A Seleção Nacional enfim exorcizou os fantasmas que tiravam o sono de seus craques e assombravam seus torcedores, desde a tragédia do Maracanã... Desta vez os povo festejou. Itapemenses saíram às ruas do Distrito portuário, num carnaval improvisado, as feridas do passado estavam cicatrizadas... Itapema, a Taça do Mundo é nossa!!