__________ Itapema, suas histórias... __________

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O ESPETACULAR PEDRO SUCURI

PEDRO SUCURI, SUPER-HERÓI DE ITAPEMA CITY (1949).

Pedro Sucuri, figura espetacular, uma lenda do antigo ITAPEMA/SP. Nosso homem bem que poderia ter existido como personagem de Histórias em Quadrinhos ou Seriados de Aventuras da TV: Jim das Selvas, Tarzan, entre outros mais. Dado seu porte atlético, ímpeto esportivo, capaz de proezas admiráveis. Para muitos daquela época, um Super-Herói nato. Pois fez parte da infância de saudosos moradores.
Também pescador, possuía habilidade incomum para o mergulho submarino. Com fôlego de peixe. Lembrado como o verdadeiro "Homem do Fundo do Mar", porque auxiliava os Bombeiros nas buscas dos afogados desaparecidos no Canal do Porto, pelas margens itapemenses e rios próximos. Guarnecido apenas de reserva pulmonar, dum calção de banho escuro.
PEDRO SUCURI MANOBRA SUA CANOA.

Pedro Sucuri e sua esposa D. Joana (de descendência indígena) eram oriundos de Propriá/SE, onde casaram e lá nasceram os filhos mais velhos: Odalmo, Olualdo e Lourdes. Em Natinópolis veio ao mundo a filha Odete. Ao aportar em ITAPEMA/SP nos anos de 1950, a família foi morar na Rua Particular Amaury, na região central do Distrito, onde nasceram os demais filhos: Beto, João, Miguel, Jurema, Ledo, Osmar, Odena e Odemir. Uma prole de 11 filhos, que D. Joana deu a luz, todos de parto natural.
D. JOANA E O LENDÁRIO PEDRO SUCURI.

Pedro Sucuri tinha um gosto exótico por bichos de estimação. Seu instinto de caçador explorado ainda na Restinga itapemense, habilitou-lhe manter cativo animais temíveis da fauna brasileira. Jacarés fizeram parte desse zoológico particular.
PEDRO SUCURI SEGURA UM JACARÉ (CAIMAN LATIROSTRIS).
PEDRO SUCURI TRATANDO UM JACARÉ (ITAPEMA/SP).

Estando no Estado do Mato Grosso, fins da década de 1940, capturou 11 cobras Sucuris (Eunectes murinus). Esta espécie, ainda chamada Anaconda, ganhou fama por ter apetite de engolir inteiro animais de grande porte: anta, gado e até gente. Sendo despachadas de trem a fim de que chegassem em Itapema. Devido as agruras da viagem 9 dessas cobras morreram pelo caminho. Duas que sobraram foram criadas em seu quintal no Bairro Jardim Santense. Ele e a família demonstrando destreza ao exibir as Sucuris para os vizinhos espantados.
PEDRO SUCURI DOMINA UMA ANACONDA (EUNECTES MURINUS).
PEDRO SUCURI MANIPULA UMA ANACONDA NO QUINTAL DE CASA EM ITAPEMA/SP.
FAMILIARES DE PEDRO SUCURI EXIBEM UMA ANACONDA (ITAPEMA/SP).
CRIANÇAS DA FAMÍLIA DE PEDRO SUCURI MANIPULAM UMA ANACONDA (ITAPEMA/SP).
MEMBROS DA FAMÍLIA DE PEDRO SUCURI POSAM COM A ANACONDA (ITAPEMA/SP).
CRIANÇA DA FAMÍLIA DE PEDRO SUCURI ENRODILHADA POR UMA ANACONDA (EUNECTES MURINUNS).
MULHERES DA FAMÍLIA DE PEDRO SUCURI SEGURAM UMA ANACONDA (ITAPEMA/SP).

Sobretudo, Pedro Sucuri foi extraordinário para as famílias itapemenses, as quais perderam seus entes queridos nas águas do Estuário do Porto. Mães, esposas chorosas, aterrorizadas por encontrar seus corpos comidos pelos siris, mastigados por cações ou perdidos para sempre no mangue lamacento. Pediam de dar dó... Que fosse um corpo inerte.
MOLEQUES AUDAZES NADAM NA MARGEM ESQUERDA ITAPEMENSE.

Os Bombeiros não achavam. Fazia umas rezas consigo, mergulhava água salgada adentro transbordante de lágrimas sofridas, prendendo o quanto podia a respiração e trazia o corpo da vítima inchado de maré. Alguns meninos e rapazes tragados pelo descuido fatal.
 NA COMPANHIA DE UM AMIGO - PEDRO SUCURI.

Entretanto, Pedro Sucuri não somente trouxe nos braços defuntos incautos, marujo do Barqueiro Careonte. Duma feita, ouviu os gritos desesperados de que uma criança caíra na água, debaixo do píer, na saída da Barca. Foi momento de desabalada carreira e... Tchibum! O silêncio na superfície da água, Pedro Sucuri lá no fundo. Parecia tamanha eternidade... Ei-lo! Tomou do colo, o rebento que encantara a Mãe d'Água Janaína. Salvou um bebê de 9 meses de idade, que havia caído dos braços da jovem mãe direto nas águas itapemenses. Durante muitos de seus aniversários, a mãe levava esta criança a casa de Pedro Sucuri em gratidão por ter-lhe salvo a vida.
Tendo existido de fato. Um homem incrível, Pedro Sucuri ilustra maravilhosamente uma das páginas de nossa História itapemense. 

terça-feira, 12 de maio de 2015

Sociedade @lternativa ITAPEMA Radical




Mais uma noitada no &.@ '&ociedade @lternativa', bodega descoladíssima nos rincões da província. Dois radicais livres, mas que nunca envelhecem, avistam-se pelas mesas da calçada.
- E aí, bródi!
- Paga uma cerva?...
- Até pago... Me descola um careta do teu. - Faz sinal pro camarada do balcão.
- Tô vindo do supletivo. Doido, tem um fessora no esquema que é muito dez!!
- Pensa que tá na creche... Minha escola é o skate, móra. Na veia! - Improvisando certa manobra radical batendo os tênis. - É foda, mol nóia... Não tô podendo dar um rolê. As street da cidade só cratera, calombo na pista... Tenho que andar de busão.
- Radicalizou, bródi. - Mostra os dedos satânicos.
O garçom chega com a cerveja.
- Pô, cumpadi... Põe aí um som manêro.
- Podis crê, Bródi. Qualquer um do Pink, manja?... Que é Floyd!!
- Tem pra ninguém, mermão. Aproveita pra espantar as moscas...
- Wohoo!! Esmerilhou, parça! - Cumprimentam-se espalmando as mãos no ar.
Cigarro retorcido pelo canto da boca, um deles resolve folhear o jornal deixado por cortesia no estabelecimento. O outro sacode convulsivamente harmônica a juba ao ritmo de Roger Waters e Cia. Dedilha os acordes numa sua guitarra imaginária.
- Bródi, saca aqui o que esse figura mandou vê nesta coluna.
Seu chapa apanha a página. Neurônios em franca atividade. Num gesto pensativo despeja o copo de "breja" goela abaixo.
- Cabuloso! Esse cara aqui as vezes... Pirei legal. Ecos dos erros urbanos... Mór idéia, né!? Tem conserto o Homem não. Tá nas úrtima hora.
- Ô... Nhéim-nhéim, véio. Papo brabo! Desse pessoal dito consciente. Quer ensinar quem? Da vida nem sabe como ela é... Sabichão!
- Bródi, tu tem que tá informado.
- Na falta de serventia pruma coisa isso ajuda... Papel pra limpar as beradas!
- De qualidade duvidosa...
Riem discretamente para que o editor do tabloide e freguês vip da casa, sentado numa mesa próxima não perceba.
- Quem disse que o nosso não é diplomado em "boston"... - Perdem a compostura. Gargalham tanto até que...
- Ihh, bródi!... - Deixa emitir uma bufa ruidosa, descontrolada. - A merenda tá dando revertério. Vou dar utilidade pro jornal agora. - Correu avexado em direção ao WC. O garçom tenta impedi-lo, tomar-lhe o 1ª HORA das mãos, alegando ter posto papel higiênico lá. - Na moral... Fica frio, bicho. É que só consigo "soltar um barro" lendo.